Máximo relativo que não é absoluto

Se uma função contínua de uma variável tem exatamente um extremo relativo em um intervalo, então esse extremo relativo é um extremo absoluto no intervalo. Este exemplo mostra que esse resultado não se estende a funções de duas variáveis. A função tem apenas um ponto crítico, que é máximo relativo, mas não é máximo absoluto.